< Voltar ao blog
23 de setembro de 2019 às 9:08

ENVELHECIMENTO PRECOCE DA CAVIDADE BUCAL: O NOVO DESAFIO DA ODONTOLOGIA – PARTE 2

QUEM SÃO AS PESSOAS COM MAIOR RISCO DE DESENVOLVER O ENVELHECIMENTO PRECOCE DA CAVIDADE BUCAL?

Para dar continuidade e podermos entender melhor quais os grupos mais podem ser afetados pelo envelhecimento precoce da cavidade bucal, construímos essa lista que vai te ajudar a entender se você ou um paciente que está tratando deve ficar atento a alguns dos sintomas:

1. Pacientes que apresentam doenças gástricas (como o refluxo) ou distúrbios alimentares, como a bulimia e anorexia. De maneira geral, nesses casos, o ácido clorídrico presente no estômago (extremamente forte), pode favorecer o desgaste dos dentes.

2. Ex-usuários de aparelho ortodôntico, os quais não fizeram um correto uso do aparelho ou não foram aos acompanhamentos após a finalização do tratamento. O uso inadequado do aparelho, pode levar a exposição da raiz do dente, o que o torna um alvo mais fácil para ação de ácidos e como consequência para o desenvolvimento de sensibilidade dentinária e envelhecimento da cavidade bucal. Portanto, é importante sempre procurar um profissional especializado e seguir as recomendações passadas por ele.

3. Atletas amadores e profissionais que fazem uso constante e excessivo de isotônicos, energéticos, bebidas cítricas e que possuem dieta extremamente ácida.

4. Pessoas que apertam os dentes constantemente. Normalmente um reflexo da ansiedade provocada pelo dia-a-dia.

5. Aqueles que fazem uso excessivo de substâncias ilícitas e medicamentos. Uma ampla variedade de medicamentos existentes no mercado pode promover o desgaste dos dentes, quando utilizados com alta frequência e por longos períodos de tempo (sem recomendações médicas), devido principalmente ao baixo pH (ácido) de sua composição.

Caso você faça parte de algum desses grupos de risco**, é importante ficar atento aos diversos cuidados que podem ser adotados. Nesse sentido, é importante destacar que o uso diário de cremes dentais e enxaguantes bucais que auxiliem na proteção contra a ação dos ácidos é fundamental para a prevenção do envelhecimento precoce da cavidade bucal. Assim, a linha Bianco Pro Clinical pode ser uma grande aliada no combate a esse processo. Estes produtos apresentam em sua formulação um componente chamado tricálcio fosfato (TCP), que associado ao flúor, favorecem a formação efetiva e rápida de fluorapatita sobre o esmalte danificado do dente. Com isso ocorrendo a proteção dos dentes contra os danos diários causados pelos ácidos e ainda reparando danos já existentes.

Livia Fávaro Zeola

Graduada pela Universidade Federal de Uberlândia

Especialização em Dentística Restauradora – Universidade de São Paulo, USP – Ribeirão Preto

Mestrado em Odontologia –  Universidade Federal de Uberlândia

Doutorado em Odontologia  – Universidade Federal de Uberlândia, com Estágio Sanduíche na Universidade de Washington, Seattle, Estados Unidos


Referência: **livro Soares PV & Machado AC. HIPERSENSIBILIDADE DENTINÁRIA – GUIA CLÍNICO. 1 edição – 340p – 2019 – Quintessence Editora

Voltar ao início