< Voltar ao blog
8 de abril de 2019 às 4:12

Conheça a cárie e seus perigos.

Sempre achou que a cárie fosse um buraco no dente e que quando ela ocorresse você sentiria dor? E se eu te disser que nem sempre isso acontece? Pois é, o problema pode ser bem mais grave do que você imagina. Por isso criamos esse material que vai te ajudar a entender o que é de fato a cárie e como ela pode prejudicar o seu sorriso.

Mas afinal, o que é a cárie?

A cárie dentária não é um buraco no dente. Trata-se de uma doença infecciosa, causada pela ação de bactérias que degradam restos alimentares, na forma de placa bacteriana, principalmente os açúcares, resultando na dissolução e destruição dos tecidos calcificados dos dentes. Os buracos ou cavidades são chamados lesão de cárie ou lesão cariosa.

O estilo de vida das pessoas influencia muito no seu desenvolvimento. A dieta, a frequência de ingestão de açúcares, os cuidados diários de higienização, a quantidade de flúor presente na água consumida, a quantidade de componentes remineralizadores nas pastas de dente e também o histórico familiar são determinantes no seu desenvolvimento.

No esmalte, inicialmente a lesão cariosa é representada por uma mancha branca identificada pelo profissional. Lembrando que nem toda mancha branca é lesão de cárie. Quando ela evolui ela atinge a dentina, que é parte interna dos dentes, provocando as cavidades chamadas de lesões cariosas o que pode afetar a sua estrutura, amolecendo os tecidos e chegando à polpa que é a parte viva do dente, comumente chamada de “nervo”. Nos casos mais graves pode ser necessário fazer o canal do dente envolvido, ou pior, pode se tornar um abscesso. E acredite! Todo esse processo pode acontecer sem que haja dor !

Quais as causas desse problema

A cárie é uma doença que se desenvolve a partir da presença de bactérias e restos de alimentos na cavidade bucal, principalmente quando há um consumo aumentado de açúcares, o alimento predileto das bactérias, fazendo com que o esmalte dos dentes seja desmineralizado e cavidades sejam abertas. As cavidades são consequência da evolução da doença.

As principais causas da cárie são:

Ausência de mineralização do esmalte.

O esmalte dos dentes possui naturalmente alguns minerais necessários para a proteção desta e de outras estruturas. Quando sofre desgastes, ele perde esses minerais e deixa as outras camadas, como a dentina, também vulneráveis. Algumas situações podem deixar os dentes vulneráveis, como a hipoplasia do esmalte e defeitos estruturais na formação do mesmo, como amelogênese imperfeita, dentinogênese imperfeita, e outras situações que possam diminuir os minerais presentes nos dentes.

Ingestão de grande quantidade de açúcares.

Alimentos que contém açúcar são os preferidos das bactérias que causam a doença cárie. Quando comemos doces, as bactérias o metabolizam e os transformam em ácidos, desmineralizando o esmalte dos dentes e a longo prazo formando as cavidades.

Dieta ácida.

Os alimentos ácidos, juntamente com os ácidos do nosso corpo vindos do estômago, por exemplo quando o paciente sofre da doença do refluxo gástrico, são a principal causa de erosão ácida que leva a perda de minerais pela estrutura dos dentes.

Como consequência da erosão pode ocorrer o amarelamento dos dentes, a sensibilidade e dentes desprotegidos, ou seja, expostos às bactérias causadoras da cárie.

Regiões vulneráveis.

A lesão cariosa ocorre principalmente nas regiões dos dentes que possuem trincas e fissuras. Os dentes posteriores que mastigam os alimentos muitas vezes possuem fissuras que facilitam o acúmulo de restos alimentares e dificultam a remoção desses restos.

 Outras regiões também muito predispostas são as raízes dos dentes que não tem esmalte protegendo. Com o passar dos anos a gengiva retrai deixando a dentina exposta e ela é menos resistente a cárie do que o esmalte dental.

Em volta das restaurações também podem acontecer novas lesões de cárie (infiltrações). Podem ocorrer nas margens e estar visíveis ou no fundo das restaurações, sendo identificada pelo paciente que relata dor ao mastigar ou durante exames de radiografias.

Ausência ou diminuição do fluxo salivar.

A saliva é a grande responsável por devolver minerais perdidos pelo dente, dessa forma, qualquer condição que leve à sua diminuição temporária ou permanente, bem como ausência (Xerostomia)  de saliva vai possibilitar o rápido desenvolvimento das lesões de cárie.

Como saber se você tem cárie?

Como já entendemos, a lesão de cárie nem sempre pode ser identificada pelo paciente. Por isso, é tão importante visitar seu dentista regularmente e fazer exames de rotina, como radiografias periapical e interproximal. O raio x interproximal inclusive pode identificar lesões entre os dentes e um tipo de cárie que muitas vezes nem o profissional consegue ver no consultório, que é a cárie oculta. O primeiro sinal pode ser dor ao mastigar, ao consumir alimentos doces, quentes ou gelados. Porém nem sempre a dor estará presente. Se o fio dental desfiar quando for utilizado também pode ser um sinal da presença de lesões de cárie entre os dentes.

Além de identificar esse problema, seu dentista auxiliará no tratamento, orientando sobre as formas de prevenção de novas lesões e fará uma restauração dentária, procedimento para restaurar as estruturas perdidas com materiais odontológicos recuperando a forma e as funções do dente.

Como prevenir a doença cárie?

Agora que você conhece o que é cárie, e como ela acomete os dentes, veja as dicas para não deixar que ela aconteça.

 Tenha uma alimentação equilibrada.

Nossa alimentação tem relação direta com a saúde bucal.

Não é necessário excluir nenhum alimento permanentemente da sua dieta, porém, é ideal limitar a frequência consumo de doces, comidas e bebidas ácidas. Isso, para que o desgaste do esmalte seja reduzido e, consequentemente, possíveis cáries também.  

Esteja sempre atento aos cuidados de higiene bucal.

Uma escovação correta é essencial para prevenir as cáries e outros problemas associados à placa bacteriana como as doenças gengivais.

Não se esqueça de utilizar o fio dental para retirar restos de alimentos que a escova não alcança. De preferência antes da escovação para liberar as regiões entre os dentes para o contato com a pasta dental. Em seguida faça a higienização com a escova fazendo movimentos circulares e de vai e vem e, ao final, complete os cuidados utilizando um enxaguante bucal.

Faça a opção por uma escova macia, para que consiga fazer uma boa escovação sem agredir a gengiva ou o esmalte. Selecione também géis dentais como os da linha Bianco  com melhor propriedade em ajudar a devolver minerais perdidos pelo dente.

Utilize produtos remineralizadores.

Como visto, a grande causa da cárie é a desmineralização do esmalte dos dentes de origem bacteriana. Por isso, existem no mercado produtos que auxiliam na remineralização do esmalte, devolvendo os minerais perdidos.

Como é o caso o enxaguante Bianco Pro Clinical, que além de reparar o esmalte em seus danos iniciais, ajuda na prevenção das cáries, da erosão ácida e muitos outros possíveis problemas. Seu uso após uma correta higienização pela escovação promove uma superfície muito lisa que dificultará acúmulo de alimentos e bactérias. Lembre-se de verificar se não está com a boca seca, sinal de diminuição da quantidade de saliva.

Consulte seu dentista regularmente e use Bianco todos os dias.


Colaboração: Dra. Cristina Resende
Graduada em Odontologia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Especialista, Mestre e Doutora em Dentística pela Universidade de Campinas (UNICAMP). Professora em cursos de pós-graduação e atuante em consultório particular há 16 anos.

Voltar ao início