Saúde Bucal

O que é Halitose?

3 de janeiro de 2020 ás 17:44

A halitose, mais conhecida como mau hálito é uma alteração do padrão normal do hálito, a qual não caracteriza uma doença e sim, um sinal de que algo no organismo está em desequilíbrio.

De acordo com a Associação Brasileira de Halitose (ABHA), essa alteração atinge mais de 30% da população brasileira e causa impacto negativo na vida social das pessoas, sendo considerada um problema de saúde pública. Pode ocorrer de maneira fisiológica (passageira) ou crônica (constante) e pode ter origem local, sistêmica e/ou emocional. O mau hálito fisiológico acontece no momento em que acordamos, após jejum prolongado ou dietas inadequadas. Ele ocorre devido a uma redução do fluxo salivar e maior atuação de microrganismos.

Por outro lado, existem aproximadamente 50 causas distintas para o mau hálito crônico. Dentre as mais comuns, deve-se destacar a de origem bucal (aproximadamente 90% dos casos). Ela ocorre, na maioria dos casos, devido à má higiene bucal, placa bacteriana retida na língua, baixa produção de saliva ou doenças da gengiva.

Além da boca, outras fontes de origem do mau hálito podem ser vias aéreas superiores (presença de cáseos amigdalianos – “massinha” viscosa que se forma em pequenas cavidades existentes nas amígdalas com um odor desagradável), sinusites, rinites; problemas respiratórios (respiradores bucais); estômago (regurgitação ou arroto); diabetes; intestino (prisão de ventre – organismo absorve substancias fétidas e as elimina pelo pulmão); problemas renais ou hepáticos.

Uma das causas que deve ser destacada é aquela relacionada a sua alimentação. Muitas pessoas acreditam que apenas alimentos como alho e cebola podem ser causadores desse problema. No entanto essa lista é bem maior. Vivemos um momento em que se busca o corpo saudável e dessa forma diversas dietas são realizadas, sendo que a maioria delas reduz significativamente ou exclui a ingestão de alimentos ricos em carboidratos (como pães, batata, macarrão e arroz).

O problema é que a redução dos carboidratos faz com que o nosso corpo procure outras formas de energia e passa a queimar gorduras. Como consequência, há a liberação de corpos cetônicos, que são resíduos da degradação dos ácidos graxos. Eles são eliminados pelas vias aéreas, fazendo com que a pessoa exale um cheiro desagradável.

E como evitar a halitose?

A dica principal para prevenir e controlar esse problema é simples:

Realizar adequadamente a higiene bucal, incluindo a limpeza da língua (com raspadores de língua ou escovas de dente) uso de fio dental e evitar o uso de enxaguantes bucais com álcool na composição.

Além disso, deve-se:

– Visitar o dentista regularmente (diagnóstico e a identificação da causa).
– Possuir uma alimentação equilibrada, comendo pequenas porções de todos os tipos de alimentos,
– Evitar o consumo excessivo de alimentos com odor forte (alho, cebola, picles, repolho) gorduras e frituras;
– Ingerir bastante água;
– Praticar atividades físicas;
– Evitar álcool e tabagismo em excesso;
– Ficar atento ao funcionamento do intestino

Inclua estes bons hábitos no seu dia-a-dia e diga adeus ao mau hálito!

Colaboração: Dra. Livia Fávaro Zeola
Graduada pela Universidade Federal de Uberlândia.
Especialista em Dentística Restauradora – Universidade de São Paulo, USP – Ribeirão Preto.
Mestre em Odontologia – Universidade Federal de Uberlândia
Doutora em Odontologia – Universidade Federal de Uberlândia, com Estágio Sanduíche na Universidade de Washington, Seattle, Estados Unidos

Você também pode se interessar por: